sábado, 28 de maio de 2016

Novos alunos-oficiais na PM de São Paulo

    O secretário da Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho, participou da cerimônia de entrega de espadins aos novos 248 alunos-oficiais, na manhã de terça-feira, 24/05, na Academia de Polícia Militar do Barro Branco. A solenidade representa o início do curso de Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública, destinado à formação de oficiais.

    “Aproveitem cada minuto nesta escola. Não se esqueçam do que aprenderem aqui e lembrem sempre dos pilares dessa instituição”, aconselhou Barbosa Filho durante a solenidade, relembrando os valores de disciplina, compromisso e honra da PM.

    A turma é composta por 248 alunos-oficiais, sendo 218 homens e 30 mulheres. O grupo foi aprovado em concurso público que contou com 15.300 inscritos – uma média de 64 candidatos por vaga. Os cadetes passarão por 5.500 horas/aula. A grade curricular conta com disciplinas como ciências jurídicas, policiais, humanas e sociais, além de matemática aplicada. A previsão de término é em dezembro de 2018.

    “A parte mais difícil está por vir”, ressaltou o comandante-geral da PM, coronel Ricardo Gambaroni. “Serão três anos de muito estudo, treino e dedicação. Sob os ombros [dos alunos-oficiais], estará a responsabilidade de, no futuro, guiar esta instituição”.


    O espadim é o símbolo do cadete e acompanhará o aluno durante os três anos do curso bacharelado, até a sua formatura como aspirante a oficial, momento em que é trocado por uma espada. 

    Após a conclusão do curso, os aspirantes a oficiais passam por estágio de seis meses, acompanhando unidades de patrulhamento de diversas regiões do Estado de São Paulo. Após esse estágio, serão promovidos à patente de 2º tenente.


                              Paraninfo

    O paraninfo da turma é o coronel Edilberto de Oliveira Melo. Ele tornou-se aspirante a oficial em 1944, sendo da primeira turma da APMBB. Em 1946, diplomou-se instrutor na Escola de Educação Física.

    “Muita honra e galhardia me acompanham neste momento”, afirmou Melo. “É uma emoção muito grande ser homenageado desta forma”. O coronel, hoje com 96 anos, aproveitou a solenidade e palestrou sobre alguns pontos da história da PM paulista.

    Na reserva, Melo foi nomeado diretor do Museu da Polícia Militar e, posteriormente, assumiu a presidência da Associação de Oficiais da Reserva e Reformados da PM.  É autor de grandes obras, entre elas: Polícia Militar Asas e Glórias (1977), O salto na Amazônia e outras narrativas (1978), Raízes do Militarismo Paulista (1982), Marcos históricos da PM – Clarinadas da Tabatinguera (2011), Pro Brasilia (2013).

    Reproduzida da Secretaria da Segurança-SP

                  

Nenhum comentário:

Postar um comentário