terça-feira, 17 de maio de 2016

Homicídio no Campolim, em Sorocaba foi motivado por preferência de local para pedir dinheiro

    Um assassinato em plena luz do dia no meio de uma rua do Parque Campolim aconteceu no domingo à tarde, 15/05, Marcos Leandro de Oliveira, de aproximadamente 50 anos, foi morto a facadas, e seu sobrinho, Caio de Oliveira, de 30, teve seu rosto, costas e nádegas rasgadas. 

    Os autores foram Edilson da Silva Oliveira, de 37, e Aleksandro Pezzini, de 32, mais conhecido como Ruivo. Todos eram moradores de rua e pedintes pelas vias de Sorocaba. Ruivo particularmente é o mais conhecido por parte do povo sorocabano; ele vivia perambulando pelas imediações do antigo casarão do Leite Moça (agora derrubado), na Avenida Moreira César, e dizia a esmo para populares: "Dias melhores virão". A dupla de assassinos foi presa tentando fugir do local do crime num ônibus.

     O motivo do homicídio foi uma discussão sobre a preferência de pedir dinheiro em locais com semáforos. Uma pessoa que estava na Praça Kasato Maru viu o desentendimento entre os quatro envolvidos, que estavam em meio a carros do semáforo que faz o cruzamento da Avenida Washington Luiz com a Antônio Carlos Comitre, e acionou agentes de trânsito da Urbes.

    Marcos e Caio estavam pedindo esmolas quando foram abordados por Ruivo e Edilson. Marcos foi o primeiro a ser atacado, e foi morto com golpes de faca na barriga e no pescoço. Caio foi atingido no rosto e nas costas, mas conseguiu fugir depois de ser golpeado nas nádegas. Ele fugiu sem as roupas.

    Logo após a ação, os criminosos subiram em um ônibus do Parque Campolim, que seguia para o Terminal Santo Antônio. A Guarda Civil foi acionada pelos agentes da Urbes que acompanharam o veículo, e várias equipes seguiram no apoio. Na Avenida Dr. Afonso Vergueiro, perto da Praça da Bandeira, foi feito um cerco e uma guarnição da Patrulha Trânsito GCM realizou a abordagem do coletivo com apoio da equipe da Romu.

    Manchados de sangue, os dois desembarcaram sem apresentar resistência, negando qualquer envolvimento nos fatos ocorridos anteriormente. Ambos foram prontamente identificados pela testemunha e pela vítima que estava em atendimento no Pronto-socorro do Hospital Regional por meio de fotos. Na Delegacia do Plantão Sul, Edilson assumiu ser o autor dos golpes de faca, informando que dispensou a faca usada no crime no lago da Praça Kasato Maru.

    A dupla foi indiciada em flagrante por homicídio e tentativa no mesmo artigo e recolhidos ao Centro de Detenção Provisória de Sorocaba. Não é o primeiro assassinato cometido por Ruivo; em 10 de fevereiro de 2006, ele matou um homem no antigo casarão do Leite Moça, com golpes de barra de ferro e bobina de madeira. Ele incendiou o cadáver depois.

    Reproduzida do Diário de Sorocaba

Um comentário: