domingo, 8 de maio de 2016

Droga da Colômbia vinha para Sorocaba e Ibiúna

    A Polícia Federal deflagrou na madrugada de sexta-feira, 06/05, uma operação contra o tráfico internacional de drogas, que abrangeu a Colômbia, Estados Unidos e ramificações em Sorocaba.

    Denominada "Operação Arepa", a ação contou com 140 policiais, que cumpriram 29 mandados de busca e apreensão e oito mandados de prisão. Seis pessoas foram presas e dois foragidos identificados na Colômbia e nos Estados Unidos. A polícia apreendeu cerca de R$ 530 mil em papel moeda e dólares.

    A pedido da PF, a 6ª Vara da Justiça Federal de Santos expediu os mandados, cumpridos nas cidades de Sorocaba, Mogi das Cruzes, Santos, Guarujá, Ibiúna e Valentim Gentil. Foram bloqueados cerca de R$ 20 milhões em imóveis, veículos e aplicações financeiras, pertencentes à organização criminosa.

    O inquérito policial teve início em março de 2015 para investigar uma organização criminosa que trazia cocaína da Bolívia para o Brasil, distribuindo a droga tanto internamente quanto para a Europa, em especial, para Bélgica e Holanda, despachada por via courrier internacional, por meio aéreo.

    No decorrer das investigações foi feita a maior apreensão de cocaína da história do Aeroporto Internacional de Guarulhos, cerca de 200 quilos, que seriam remetidos para a Holanda.

    Nesse período também foram apreendidos 200 mil euros e 390 mil dólares pertencentes à organização criminosa. Há indícios de que o grupo tenha remetido cerca de 7,5 toneladas de cocaína ao exterior em 2015.

                  Arepa: 'pão de milho colombiano'

    O nome usado pela Polícia Federal, arepa, vem de um tipo de pão de milho típico da culinária colombiana e é um dos termos utilizado pelos traficantes para se referir à cocaína. 

    Os presos foram indiciados e permanecem à disposição da Justiça Federal. Eles responderão aos crimes de tráfico internacional de drogas e associação para o tráfico, cujas penas podem chegar a 25 anos de prisão, sem prejuízo de outras imputações apuradas no desdobramento das investigações.

    Reproduzida do Diário de Sorocaba

Nenhum comentário:

Postar um comentário