sábado, 21 de maio de 2016

Campanhas e esforços reduzem 5,4% de mortes no trânsito em São Paulo

    As mortes decorrentes de acidentes de trânsito no Estado de São Paulo tiveram queda de 5,4% no acumulado do ano em relação ao mesmo período de 2015, segundo levantamento do Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo (Infosiga SP). Foram 108 óbitos a menos nos primeiros quatro meses de 2016, apesar do leve aumento de 2,7% de mortes no mês de abril deste ano.
 
    Em Sorocaba, morreram 10 pessoas no mês passado - oito homens e duas mulheres. Em janeiro, oito; em fevereiro, nove pessoas; e mais sete vítimas em março. No ano passado, foram registrados 13 em janeiro; nove em fevereiro e nove também em março.  
 
    Os acidentes com vítimas também mostraram redução tanto no acumulado do ano quanto no mês de abril, sempre comparando com o mesmo período do ano anterior. Nos dois casos, a redução foi de 24% nas ocorrências com vítimas no Estado de São Paulo. 

    A intensificação das blitzs da Lei Seca em todo o Estado, campanhas de conscientização e o início do trabalho nos 15 municípios conveniados ao Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, são os principais fatores que auxiliaram na redução dos índices de acidentes.
 
                Homens são maioria das vítimas
 
    O relatório divulgado ontem também aponta que, do total de mortes em acidentes de trânsito ocorridos em abril deste ano, no Estado de São Paulo, 32% das vítimas estavam em motocicletas e outras 23% eram pedestres. As vítimas fatais dos acidentes são, em sua maioria, homens (80%) e jovens (18 a 29 anos representam 26%). Em relação ao tipo de acidente, colisões e atropelamentos continuam concentrando a maior parte dos óbitos (61%), assim como nos meses anteriores.
 
    No acumulado do ano, o Infosiga SP mostra que as características de vítimas e acidentes continuam as mesmas: mais homens morreram (77%) na faixa etária entre 18 e 29 anos (25%); o tipo de acidente que mais matou no Estado em 2016 também foi colisão (36%), seguido de atropelamento (25%).
 
 
         Sexta-feira a domingo são os dias mais perigosos
 
    O Infosiga SP reúne dados sobre faixa etária, sexo da vítima, tipo do veículo envolvido e perfil do acidente. Também é possível, por meio das informações registradas nos boletins de ocorrência, identificar períodos do dia e da semana em que os acidentes com vítimas se concentram, além de ter o retrato dos índices no Estado e em todos os 645 municípios. Em relação ao período de maior incidência de acidentes, é possível destacar o fim de semana (sexta-feira à noite até domingo) como o mais perigoso nas estradas e vias.
 
    Esse é o principal fator que explica o aumento de mortes em abril deste ano quando comparado com o mesmo mês de 2015. Em 2016, o mês de abril teve cinco fins de semana completos, enquanto no ano passado, o mês teve apenas quatro. Somente nos fins de semana, foi identificado o aumento de 3,15% na comparação dos dois períodos.
 
 
            Convênios com Sorocaba e outras cidades
 
    Em fevereiro, o governador Geraldo Alckmin assinou convênios para a cidade de Sorocaba, e mais, Amparo, Atibaia, Barretos, Catanduva, Fernandópolis, Itanhaém, Jacareí, Piedade, Praia Grande, Registro, Ribeirão Preto, São Carlos, São José do Rio Preto e São Roque, com o objetivo de implantar um programa piloto para investir em ações voltadas para fiscalização, sinalização e educação no trânsito. 
 
    O objetivo é que as iniciativas bem-sucedidas sirvam de modelo para outras cidades e possam ser reaplicadas. O repasse da primeira parcela dos R$ 10,5 milhões que serão investidos nos municípios já foi feito e as prefeituras, juntamente com o Governo, estão trabalhando para reduzir acidentes e, consequentemente, mortes.

    Reproduzida do Diário de Sorocaba

Nenhum comentário:

Postar um comentário