sábado, 2 de abril de 2016

Atlas da Violência destaca redução de homicídios em São Paulo

O Atlas da Violência 2016 aponta que São Paulo foi o Estado brasileiro com a maior redução da taxa de homicídios por 100 mil habitantes em 10 anos, além de destacar que 13 das 20 microrregiões brasileiras com as maiores diminuições de mortes intencionais são paulistas.

O estudo, feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) – ligado ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão – em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, divulgado na semana passada, também aponta que São Paulo teve redução nas mortes de jovens entre 15 e 29 anos e queda nos homicídios entre a população negra e entre as mulheres.

                 Maior redução de homicídios no país

O Atlas da Violência (acesse aqui) aponta que São Paulo teve uma redução de 52,4% na taxa de homicídios dolosos por 100 mil habitantes, entre 2004 – quando o índice foi de 28,2 – e 2014, ocasião em que o indicador foi de 13,4 ocorrências. Na mesma comparação, a média brasileira da taxa de homicídios teve aumento de 10%, chegando a 29,1.


              Regiões de SP são destaque na queda de homicídios

O Atlas observa que entre as 20 microrregiões brasileiras com maiores reduções na taxa de homicídios, 13 estão no Estado de São Paulo. No ranking, das sete regiões que possuem mais de 1 milhão de habitantes, seis são paulistas – a sétima é a capital pernambucana, Recife.


                               Regiões menos violentas 

O trabalho do Ipea em conjunto com o Fórum de Segurança aponta, também, que entre as 20 microrregiões brasileiras com as menores taxas de ocorrências de mortes intencionais no país, cinco estão em São Paulo.

 Com 4,4 casos por 100 mil habitantes em 2014, a microrregião de Adamantina teve a menor taxa estadual. No ranking das 20 regiões mais pacíficas, ainda estão Jales (5,3 homicídios por 100 mil habitantes em 2014), Fernandópolis (5,6), Franca (6,0) e Dracena (6,5).

 Nenhuma microrregião paulista figura entre as 20 mais violentas do país, em lista liderada pelo aglomerado de São Luís, no Maranhão. Também não houve município paulista entre os maiores aumentos nacionais da taxa de homicídios dolosos entre 2004 e 2014.

                                   Morte de jovens

O Estado de São Paulo também foi o que mais reduziu a quantidade homicídios dolosos de jovens entre 15 e 29 anos. A redução da taxa foi de 59% em 10 anos, conforme dados do Ipea. No período a taxa caiu de 58,3 para 23,9 morte por 100 mil jovens. Ao mesmo tempo, o país teve um aumento na taxa, que passou de 52,7 para 61 entre 2004 e 2014.


                               População negra

Dados do estudo também mostram que o Estado de São Paulo obteve, nos últimos 10 anos, uma expressiva redução nas mortes de pessoas negras, de acordo com o Ipea. A diminuição na taxa foi de 61,6% e o índice passou de 42,3 para 16,2 mortes por 100 mil habitantes negros. A média nacional do indicador teve alta de 18,2%.


                        Violência de gênero

São Paulo está entre os três estados que tiveram diminuição no número de homicídios de mulheres. Com queda de 29,3%, o Estado foi o que registrou a maior diminuição em 10 anos, seguido por Pernambuco (14,9%) e pelo Rio de Janeiro (11,7%).

No período, a taxa de São Paulo de homicídios por 100 mil mulheres é a menor do país – 2,7. O Estado também foi o que teve a maior diminuição dessa taxa em 10 anos – 36,1% de recuo, já que em 2004 a taxa era 4,3.

Enquanto isso, o Brasil como um todo teve aumento de 11,6% dessa taxa, passando de 4,2 homicídios por 100 mil mulheres em 2004, para 4,6 em 2014.

Reproduzida da Secretaria da Segurança Pública

Nenhum comentário:

Postar um comentário