quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Promotores querem que à Justiça de Pilar do Sul absolva os envolvidos na tentativa de homicídio contra o policial militar Flávio Garcia

Flávio Garcia
Os promotores de justiça Gustavo dos Reis Gazolla e Marcelo Sigari Moriscot pediram que à Justiça absolva os três homens acusados de envolvimento na tentativa de homicídio contra o policial  militar Flávio Garcia, e o furto da pistola ponto 40 (patrimônio da Polícia Militar).

Conforme convicção dos promotores, os irmãos Wagner Nascimento Lopes, Rafael Nascimento Lopes e o amigo deles, Silvio Rosa Santos na madrugada de 30 de novembro de 2014, se ajustaram para pescaria no Bairro Bom Retiro II, em Pilar do Sul; esconderam duas motos no mato e foram pescar. 

A irmã e o cunhado do policial que moram naquele bairro, solicitaram por telefone que o policial Flávio Garcia que estava á paisana fosse averiguar o que acontecia (temeram roubo). 

Quando o policial chegou no local e desceu do carro, um dos suspeitos disparou tiro de espingarda atingindo o rosto do policial, em seguida os três homens ameaçaram duas mocas e dois rapazes que estavam no interior do carro do policial. 

Os autores ameaçaram: Regiane Correa Fogaça, Rosemary Américo Murat, Willian Matheus da Silva e Gilberto Fernando de Oliveiras, para que os amigos da vítima fossem embora daquele local e não socorressem o policial que estava ferido. Antes de saírem do local, um deles subtraiu a pistola do policial. 

Os promotores afirmam que no processo consta sem dúvida a materialidade do fato e autoria, no entanto, oitivas das testemunhas fizeram-lhes formar convicção de que houve legítima defesa putativa artigo 20 do Código Penal; com esse entendimento os promotores pedem que os réus sejam absolvidos sumariamente. 

O pedido de absolvição foi apresentado no final de outubro. Inicialmente o ministério público (outro promotor) denunciou os três envolvidos por tentativa de homicídio e furto da pistola. Os autores estiveram presos durante a instrução criminal, mas já estão em liberdade.

Após essa manifestação dos promotores, será o momento da posição dos defensores dos réus, que é a mesma tese dos promotores (legítima defesa putativa), em seguida o assistente de acusação apresentará sua tese. Finalizada essa etapa a justiça decidirá se absolve sumariamente, ou se absolve do dolo ( sem intenção) e julga os réus pelo fato culposo (juizado singular), a outra possibilidade é pronunciá-los encaminhado o caso para ser julgado pelo conselho popular no Tribunal do Júri.


Aqui a notícia chega chegando. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário