domingo, 8 de novembro de 2015

Ouvidor da Polícia-SP terá novo mandato

O atual ouvidor das polícias paulistas, Julio Cesar Fernandes Neves, será reconduzido ao cargo para um novo mandato de dois anos. A primeira gestão do ombudsman policial se iniciou em dezembro de 2013 e termina em 17 de dezembro. 

Neves foi renomeado para o cargo pelo governador Geraldo Alckmin a partir de lista tríplice elaborada pelo Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (Condepe). O ouvidor das polícias é advogado e membro da Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese paulista. 

Ao assumir o cargo pela primeira vez, em 2013, Neves destacou que “segurança é um direito humano. Portanto, independentemente de sua condição social, econômica, física ou psicológica, todo ser humano tem direito à segurança”.

Julio Cesar Fernandes Neves é advogado, formado em Direito pela Universidade Mackenzie em 1982, e possui longa trajetória como militante de movimentos sociais de luta pela democratização do país em plena ditadura militar, e na defesa do respeito integral aos direitos fundamentais da pessoa humana.

Nas décadas de 80 e 90, se fez presente em diversas campanhas e manifestações cívicas, na defesa dos direitos humanos e das liberdades democráticas, entre os quais os diversos comícios da campanha pelas eleições direitas para presidente da   República, iniciados em 1983. 

Atuou como colaborador na campanha pela "Ética na Política", participando da organização de grandes manifestações na cidade de São Paulo, em 1992.
Foi Procurador do Instituto Nacional do Seguro Social - INSS, na área de acidentes de trabalho, por quinze anos. 

Advogado do Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo desde 1986, exerceu a função de   conselheiro da extinta Companhia Municipal de Transportes Coletivos - CMTC, eleito como representante dos empregados. 

É advogado no Tribunal do Júri, onde defendeu gratuitamente dezenas de réus de baixa renda, nos estados de São Paulo e Rio de  Janeiro, além de sócio do escritório estabelecido pelo saudoso Conselheiro da República Aldo Lins e Silva, exercendo seu ofício na área criminal.

Em julho de 2005, foi nomeado assessor da Ouvidoria da Polícia do Estado de São Paulo, e a seguir eleito pelo Conselho do órgão como ouvidor substituto, função que exerceu em dezenas de ocasiões no decorrer de sete anos, durante os impedimentos do titular. 

                                            Ouvidoria da Polícia

Criada por meio de Lei Complementar em 1997 pelo então governador Mario Covas, a Ouvidoria da Polícia do Estado de São Paulo foi a primeiro do gênero a ser criada no país.
O órgão é responsável por receber denúncias, reclamações, sugestões e elogios referentes aos servidores da Secretaria da Segurança Pública, além de realizar pesquisas, seminários e cursos sobre segurança e direitos humanos.

Reproduzida da Secretaria da Segurança Pública.

Nenhum comentário:

Postar um comentário