terça-feira, 8 de setembro de 2015

Desfecho do Crime - Justiça de Sorocaba liberta 4 acusados pela morte do policial militar Sandro Luiz Gomes e cassa ordem de prisão de outro que era procurado

Emerson
A Justiça de Sorocaba realiza instrução criminal para apurar quem são os envolvidos na morte do policial militar Sandro Luiz Gomes (morto instantaneamente), e tentativa de homicídio contra o sargento Antonio Correa Júnior (sargento não morreu).

Os crimes foram cometidos na madrugada de 27 de abril de 2014. Os dois estavam abordo de uma viatura próximo ao Jardim Paulista, em Sorocaba, indivíduos num Fiesta e num Fox efetuaram vários disparos e depois fugiram.

Em abril e maio daquele ano, atuação intensa da Delegacia de Investigações Gerais de Sorocaba (DIGI), do GAECO e da Polícia Civil de Capão Bonito capturou suspeitos em Capão Bonito e em Sumaré-SP. Dois homens de Sorocaba são suspeitos de agir com o grupo, são os irmãos Emerson dos Santos, apelidado por "Neguinho" e Fabiano dos Santos conhecido por "FB". 
Fabiano


Em 05 de maio daquele ano (oito dias depois do crime), a polícia prendeu Emerson em Sumaré; os outros envolvidos foram capturados em outras cidades da região de Sorocaba. A polícia procurava prender Fabiano "FB" que é irmão de Emerson (preso em Sumaré),  e procurava capturar os outros suspeitos. 

                               Denúncia do MP no Fórum

O ministério público denunciou os suspeitos: Juliano Cardoso de Lima considerado o chefe da ação, Marcelo Barbosa da Silva, Paulo César Dutra Gabrir, Emerson dos Santos, Fabiano dos Santos, Pedro Paulo Gomes, Fernando dos Santos e Lucas Nascimento da Silva. 

A polícia afirma que naquela madrugada o grupo pretendia assassinar um policial militar que estivesse trabalhando, porque Juliano Cardoso estaria devendo a uma facção, o homicídio seria como forma de pagamento. 

No decorrer da instrução criminal, o ministério público analisou pedido do advogado Fábio Pereira da Silva, defensor de Emerson "Neguinho" e Fabiano "FB", e entendeu que não havia mais necessidade de manter Emerson e outros suspeitos presos, e concordou libertá-los. 

No dia 13 de agosto de 2015, a juíza Adriana Tayano Fanton Furukawa acolheu a manifestação do promotor Antonio Farto Neto e assinou alvará de soltura com relação aos suspeitos: Emerson "Neguinho", Lucas Nascimento da Silva, Fernando dos Santos Barbosa e Pedro Paulo Gomes. A magistrada também expediu contramandado com relação ao procurado Fabiano "FB" (não deve mais ser preso). 

No mesmo despacho (13/08/15), a juíza não libertou os outros suspeitos: Juliano Cardoso, Pedro Paulo e Marcelo Barbosa, tanto o ministério público como a juíza entenderam que os tais devem ser mantidos presos para garantia da ordem pública. A instrução criminal continua com relação a todos os suspeitos.

Quem comete crime está sujeito a pão de angústia e água de amargura.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário