quarta-feira, 29 de abril de 2015

Desfecho do Crime - Associação de bebida e droga é motivo para homem tentar matar companheira

Um casal era amasiado há 11 anos, ambos trabalhavam num posto de combustíveis na Avenida Dom Aguirre, em Sorocaba: Alex Sandro da Silva Brito trabalhava das 14h até as 22h e sua companheira trabalhava das 22h até as 06h do dia seguinte. 

Em 04 de julho de 2012, Alex Sandro saiu do trabalho após as 22h e segundo sua confissão, foi assistir jogo do Corinthinas x Boca Juniors num bar, onde bebeu e posteriormente consumiu cocaína. As 22h sua amásia Angélica Cristina Rodrigues iniciou sua jornada de trabalho no posto de combustíveis. Por meio do telefone, Alex Sandro disse para sua amásia que estava bebendo num bar, e isto gerou discussão. 

Quase 04h da manhã do dia seguinte, Angélica Cristina saiu do trabalho e foi para sua casa na Rua André Fernandes, Vila Angélica, em Sorocaba. Alex Sandro já estava em casa. A mulher descera do carro e entrara em casa, mas retomaram a discussão. Alex Sandro empunhou uma faca de cozinha e disferiu dois golpes na companheira: um atingiu o tórax e outro atingiu a axilia. Um filho de Angélica interveio em favor da mãe. Alex Sandro dispensou a faca e teria chorado muito. 

Angélica entrou no carro do companheiro que estava em frente à casa e dirigiu-se para uma delegacia próxima. A polícia acionou uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, que levou a mulher ao pronto-socorro do Hospital Regional de Sorocaba. Policiais foram na casa do casal e detiveram Alex Sandro. 

Julgamento

Na terça-feira (28/04) a juíza Adriana Tayano Fanton Furukawa reuniu o conselho de sentença para julgar a conduta atribuída ao réu. Alex Sandro confessou autoria do crime e chorou. Arrolada como testemunha, Angélica Cristina disse em plenário ter perdoado o companheiro, e que casaram dentro da unidade prisional. 

O promotor de justiça Marcos Fábio de Campos Pinheiro acusou Alex Sandro de ter cometido tentativa de homicídio duplamente qualificada (artigo 121, parágrafo 2º incisos I e IV, torpeza e recurso que dificultou a vitima de se defender; combinado com artigo 14, ambos do Código Penal). 

O advogado Paulo Silveira Melo Sobrinho rebateu a acusação, e pediu  desclassificação da tentativa de homicídio para lesão corporal (artigo 129 do Código Penal) e tese subsidiária de tentativa simples. O conselho de sentença retirou uma qualificadora e reconheceu outra. A juíza impôs condenação por 8 anos, em regime inicial fechado. Alex Sandro está preso na Penitenciária II de Itirapina, interior de São Paulo.

Quem comete crime está sujeito a pão de angústia e água de amargura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário